Dicas Naturais, Remédios Caseiros

Receita Natural

Receita Natural

Plantas e Ervas ajudando em sua Saúde

Como Fazer Fermento Natural? Para Que Serve?

O fermento natural é como a levedura que usamos para fazer pães, mas em seu estado mais puro, ou seja, ele é formado a partir do ar e de seus micro-organismos. Estas bactérias formadas são chamados probióticos, que são as mesmas bactérias que compõem nossa flora intestinal. Combinado com lactobacilos que mantêm a acidez na massa, evitam que outras bactérias indesejadas se desenvolvam.

Os benefícios deste fermento é que possui um índice glicêmico mais baixo do que outros pães, sua digestão é mais fácil, devido a sua fermentação mais lenta, o que favorece a ingestão com intolerantes a glúten. Ele também pode ser armazenado por mais tempo, devido ao ácido acético, que inibe o crescimento de bolor, aumenta o teor de bactérias benéficas no intestino, facilitando seu funcionamento e impedindo a instalação de outras bactérias. Abaixo, conheça os tipos de farinhas e como produzir seu fermento natural.

Produzindo seu próprio fermento natural

A produção deste fermento é bastante simples. Você irá necessitar de um pote de vidro 300 gramas esterilizado, um tecido e uma borracha para impedir a entrada de moscas e outros insetos, a farinha de sua preferência e água destilada.

No primeiro dia utilize 2 medidas de água para 1 medida de farinha. Misture bem e deixe repousar em lugar cálido. No segundo dia, utilize 1 medida de água para 2 medidas de farinha. Misture e deixe repousar. Já nos seguintes dias, vá acrescentando 1 medida para 1 de água e farinha, sendo misture bem. No quinto ou sexto dia deve começar a aparecer borbulhas e um aroma ácido, de fermentado como o da cerveja ou de leveduras, e então ele estará pronto para ser utilizado.

Não se esqueça que ele irá crescer, então escolha uma medida baseada no tamanho do vidro, como uma colher de sopa, por exemplo. Continue alimentando diariamente. O indicado é sempre utilizar 2/3 da massa para a preparação do pão e guardar o restante. O fermento para de crescer no frio, então se não irá utilizá-lo, o mesmo deve ser guardado na geladeira e alimentado com a medida de 1 para 1, 1 vez por semana. Quando desejar usa-lo novamente, tire da geladeira e espere chegar à temperatura ambiente.

Fermento Natural

Saiba como preparar o fermento natural.

Existem muitas receitas na internet, desde as mais elaboradas, até receitas sem sova. Algumas pessoas indicam colocar gotas de laranja ou limão para tirar sua acidez. Este pão possui o benefício de ter mais durabilidade, então não precisa ser feito a cada dois dias.

Outra dica que pode facilitar a sua vida é pesquisar métodos de congelamento de pão, saem como novos do freezer e pode poupar algumas horas da sua semana, mantendo uma alimentação saudável e nutritiva. Opte por produtos orgânicos e de produção local. Lembrando que o equilíbrio é a chave para uma vida mais saudável.

Tipos de farinha

Farinha integrais

Um pão branco com fermentação natural é ainda mais saudável que pães integrais com fermentos industrializados. Isso não descarta o uso de farinhas integrais para a elaboração do seu pão. A farinha integral não passa pelo processo de refinamento que elimina grande parte dos nutrientes do grão, por isso apresenta mais fibras, aumenta a saciedade e reduz os níveis de colesterol e de glicose no sangue.

O processo de refinamento faz com que a farinha branca perca as vitaminas B1, B6, magnésio, selênio, zinco, minerais importantes para o fortalecimento do sistema imunológico. Já a farinha branca é rica em carboidratos e é benéfico para treinamentos de alto rendimento e pessoas que necessitam aumentar a quantidade de massa.

Farinhas sem glúten

O glúten é o responsável por dar maciez ao pão, o que é importante na receita, porém ele pode colaborar com o aumento de peso, pois é de difícil digestão e libera substâncias inflamatórias, o que estimula a concentração de gordura e açúcar no sangue.

Ele está associado a algumas doenças digestivas e pode causar lesões no intestino e por isso diminuir a absorção de alguns nutrientes. Alguns estudos afirmam que pode diminuir a produção de serotonina por conter algumas toxinas, este fator pode estar associado ao uso de agrotóxico na maioria das plantações de trigo e outros cereais.

Você pode encontrar farinhas sem glúten de arroz integral, coco,  trigo sarraceno, chia, linhaça, milho e aveia. E outra farinhas de amidos, como mandioca, milho, fécula de batata e araruta.

Não significa que você deve eliminar o glúten de sua vida, inclusive recomenda-se utilizar junto com outras farinhas, para diminuir a quantidade sem perder a maciez do pão. As proporções são de 1 medida de farinha sem glúten para 2 medidas de farinha com glúten para pães e 1 para 1 em bolos, tortas.